ABOOH

Notícias

Mercado Out of home acredita em sequência de evolução de setor

Sem ignorar desafios, principais players projetam um 2019 de crescimento, amadurecimento e de novas possibilidades no meio

Terceiro na preferencia nacional de investimentos em compra de mídia, com 7,6% no bolo publicitário segundo o Cenp-Meios, o segmento de out of home viveu um ano de amadurecimento em 2018. Apostando numa boa sequência, as empresas esperam um 2019 tão ou mais positivo que o ano passado.  O reflexo desta confiança tem entre algumas de suas causas principais a expectativa de retomada da economia, a consolidação do casamento com o meio digital, além da própria evolução de setor no pais .”Todas as vertentes do mercado estão otimistas, até porque diante das incertezas de 2018 principalmente relacionadas ás eleições, muitos investimentos foram adiados ou mesmo cancelados. Haverá uma retomada dos investimentos não somente na indústria da comunicação, mas em toda  cadeia”, acredita Pedro Barbastefano, sócio-diretor da 29HORAS.

Na visão de Alexandre Guerrero, sócio e vice-presidente comercial da Eletromidia, o cenário deve evoluir e ganhar escala principalmente com a consolidação do setor em aeroportos, shopping centers e mobiliário urbano. Em sua concepção, a oferta de mídia, a integração com o digital e a utilização da inteligência programática devem ter avanços importantes. “As principais condições para suportar o crescimento do meio estão muito fortalecidas e favoráveis e agora cabe aos lideres promover essas transformação, conduzir essa agenda com o mercado e com os anunciantes. Estamos reescrevendo a historia do OOH em nosso país e esse é um momento singular”, afirma.

Para Ana Célia Biondi, diretora-geral da JCDeacaux Brasil, o digital OOH e a integração de mídias também continuarão fortes  no primeiro ano. A executiva acha ainda que é um momento crucial para investir no conhecimento sobre o comportamento de usuários de metrô, aeroportos e da população que circula nas ruas, além do desenvolvimento de profissionais especializados e uma formação qualificada. “Independentemente do governo, acreditamos que o segmento de mídia OOH continuará a receber investimentos e crescerá ainda mais no Brasil”, opina Paulo Stephan, presidente da ABOOH, também concorda com o clima positivo. “A expectativa é de que a economia possa progredir e de que o país consiga apresentar elementos que tornem o ambiente de negócios mais favorável”.

Apesar dos prognósticos favoráveis, também há pontos de reflexão importantes e etapas que precisam ser devidamente concluídas, na analise de Lizandra Freitas, CEO da Clear Channel Brasil. “Temos o desafio de cada vez mais evangelizar o mercado sobre todas as possibilidades existentes no nosso meio, como a exploração das inúmeras funcionalidades do DOOH, a customização de mensagem condicionadas a hora, local e trânsito, além  das formas possíveis de mensuração da mídia e performance”, diz.

Por fim, outra busca do setor deve ser por uma maior interação das marcas com todo o entrono do seu publico. “Estamos falando em tornar os cominhos mais agradáveis e sustentáveis, os locais mais colaborativos , entrar na vida das pessoas não apenas como um produto, mas um estilo de vida. Serão valorizadas as marcas e empresas que estiveram mais sintonizadas com essa visão.”,  finaliza  Anderson Santos, diretor-geral de planejamento e inovação da Otima.

“As principais condições para suportar o crescimento do meio estão muito fortalecidas e favoráveis e agora cabe aos lideres promover essa transformação”